Adriano Siqueira (Lord Dri) é um dos grandes nomes do universo Vamp no Brasil. E um dos seus personagens que considero mais marcante é o vampiro Neculai, uma entidade vampírica que se alimenta de sangue e desespero, que ele cultiva magistralmente em suas vítimas…

Abaixo, segue uma série de micro-contos que mostram sua crueldade e perícia em gerar MEDO!

cell-phone-in-hand

UM MINUTO DE DESESPERO

─ Alô!
─ Preciso dizer quem sou?
─ Como Assim? Quem é? Como sabe meu número?
─ Você estava sonhando comigo… Acordou com o toque do telefone.
─ Isso é loucura… Eu não tenho certeza.
─ Sentiu o vento frio abraçando seu corpo?
─ Certamente que senti, Olha, eu não sei o que quer mas isso tudo está estranho, vou desligar.
─ Se fizer isso vou aparecer e não serei gentil pois estou com muita fome.
─ Não sei quem é você e se pensa que esta conversa me assusta está enganado.
─ Não ligue pro seu amigo! Desligue o celular! Agora!
─ Como sabe que eu peguei o celular enquanto falamos no telefone?
─ Isso mesmo. Procure em sua volta. Olhe pela janela. Eu não estou em lugar nenhum. Apenas te vejo. Te sinto. Eu disse para desligar o celular.
─ Alô!
─ Ivan! Tem alguém no telefone ele me ameaçou…
─ Alô Ana? Que está acontecendo?
─ Desculpe Ivan. Ela não pode te atender.
─ Quem está falando? O que fez com ela?
─ Descobrirá nas manchetes amanhã. Tenha uma Adorável Noite.

 

DOIS MINUTOS DE DESESPERO

─ Alô!
─ Sou eu Ivan. Não Desligue!
─ Ana que susto você me deu. O que está acontecendo?
─ E-eu não sei. Está tudo escuro aqui.
─ Calma. Eu vou até sua casa.
─ Não! Você não deve sair!
─ Mas é preciso.
─ Estou sangrando Ivan.
─ Ele Feriu você?
─ Eu estou no chão, só tem sangue aqui.
─ Calma Ana. Eu vou aí e… meu celular está tocando.
─ Não atende Ivan! É ele!
─ O cara que te machucou?
─ Alô!
─ Eu tenho nome Ivan.
─ Que fez com ela?
─ Neculai!
─ Seu nome não importa. Deixe a Ana em paz!
─ Achou que falava com ela Ivan?
─ O que? Ana? Ana fala comigo.
─ Ela não existe mais.
─ Por que está fazendo isso?
─ Fome e diversão.
─ Eu vou desligar…
─ Desligue. Eu já estou ao seu lado.
─ Não! Saia daqui Sa…
─ Mas que sangue delicioso.
─ Sabe Ivan, o sangue não teria o mesmo gosto se você não estivesse desesperado. É um tempero essencial.
─ Mas olha só que interessante… Vejo uma foto na sua mesa. Uma mulher. Nome Lucia. Seria sua namorada? Irmã? Será que ela tem celular?

Vejo que será uma noite adorável…

 

ALGUNS MINUTOS DE DESESPERO

─ Alô!
─ Você vai achar estranho, mas tem que sair da sua casa e entrar no carro que está na sua porta.
─ Quem está falando?
─ Agora!
─ Você deve ser algum louco! Essa buzina! Pare de buzinar a vizinhança toda vai ouvir.
─ Só paro se você sair! Olha eu estou aqui para te salvar.
─ Salvar de quem? Espere! O Ivan, meu namorado, está ligando no meu celular. Desliga essa maldita buzina!
─ Ok vou desligar mas não atenda o celular. Seu namorado está morto e o assassino dele também quer te matar.
─ Pare com isso! Vou chamar a policia se não for embora agora!
─ Não atenda o celular!
─ Alô! Ivan!
─ Neculai está com fome!
─ Não! O que fez com meu namorado?
─ Preciso de San…

O celular perde o sinal e a porta é arrombada.

─ Mas quem diabos é você? Você destruiu minha casa.
─ Foi só a porta da frente. Tenho um aparelho que interrompe o sinal do celular. Vou te levar para um lugar seguro. Agora entra no carro.
─ O que está acontecendo. O que este assassino quer.
─ Eu o persegui a noite toda. Ele é rápido. Meu aparelho só interrompe alguns segundos.
─ Mas como ele pega as pessoas.
─ É um vampiro diferente. Viaja por ondas. Se alimenta do desespero e… espere meu celular esta tocando. Ele já sabe que estou no jogo.
─ Alô!
─ Neculai vai matar os dois! Sei que estão no carro. Será impossível me deter.
─ Então vem me pegar.
─ Já estou aqui.
─ Ele vai nos pegar por que está jogando o celular no banco de trás?
Neculai aparece no Banco de trás exatamente onde o celular foi jogado.
─ Agora que você apareceu Neculai. Eu aciono minha armadilha. Ela fecha a as portas e janelas do banco de trás e somos protegidos por uma parede para que não possa atacar.
─ Não! Neculai quer sangue!
─ Só um minuto Neculai. Meu aparelho que interrompe o sinal de celular precisa de mais alguns segundos para ativar.
─ Lucia! Lucia eu vou tomar todo seu sangue. Deve ser tão bom quanto do Ivan! Atenda o celular ou vou pegar toda a sua família.
─ Ele vai pegar minha família. Eu não posso deixar que isso aconteça.
─ Lucia. O que está fazendo?

Lucia pega o seu celular e sai do carro.

─ Preciso atender o celular.
─ Volte Lucia! Não saia do carro volte para cá. Aqui você está protegida. Não atenda o celular. Ele é astuto está te enganando.
─ Sinto muito. Ele vai matar toda a minha família.
─ Não! Eu posso detê-lo.
─ Alô! Por favor não faça nada com minha família.
Neculai aparece ao lado de Lucia e sorri.
─ Neculai faz o que quer! E agora quero você! Antes vou virar este carro ribanceira a baixo. Adeus caçador!
─ Eu vou te caçar pela eternidade!
─ Conto com isso caçador. Vai ser uma longa viagem.

O vampiro joga o carro e ele bate várias vezes no chão antes de explodir. Neculai olha para a sua vítima e pergunta.

─ Antes de sugar todo o seu sangue você vai me contar onde está sua família.
─ Não! Não!
─ Isso. Fique desesperada. A noite apenas começou e temos muito tempo.

 

MINUTOS DE DESESPERO DE UM FIM DE ANO

─ Alô!
─ P-por favor por favor. Q-quem está falando?
─ É o Cláudio.
─ É a L-Lucia.
─ Lucia! que aconteceu com seu celular? Fez tempo que ligo e ninguém atende! Estamos te esperando para a festa de final de ano. Todo mundo já está aqui.
─ C-Cláudio aconteceu um problema. Eu tive que negociar. Eu sinto muito. Este celular que estou usando é de um homem que morreu tentando me salvar.
─ Mas…? Do que você está falando Lucia?
─ Um Monstro Cláudio. Ele me prometeu me deixar viva se eu passasse os contatos da minha família. Me deixaria em paz caso eu lhe passasse todos os números de vocês.
─ Você está louca? Deu o seu celular para um estranho?
─ Avise todos para não atenderem seus celulares! Não sou eu!
─ Mas…!
─ Avise Agora Cláudio!
─ Ok! Tá bom! Já entendi não precisa gritar! Espera… Gente! Atenção! A Lucia não quer que vocês atendam os seus celulares. Isso vale pro senhor também mesmo que esteja sem mãos, e pra senhora também que está com o pescoço quebrado e também para você mocinha que está afogada no ponche, e Também para você que tem um celular enfiado no…
─ Não!! Seu monstro. você matou todos! Está imitando a voz do Cláudio.
─ Neculai! Meu nome é Neculai!
─ Como pôde fazer isso. Minha família inteira!
─ Foi fácil. Comecei ligando para sua tia que estava sozinha no banheiro e ela ficou desesperada quando eu disse o que fiz com você. Antes dela informar sua família eu apareci e suguei seu sangue delicioso com aquele sabor de medo, pânico e desespero. Peguei o celular dela e fiquei ligando para cada um que estava aqui. Adoro essa tecnologia moderna que indica quem são os familiares. ficou bem fácil descobrir quem era quem aqui. Imitei a voz da sua tia e disse que estava trancada no banheiro.Em segundos ficavam desesperados vendo sua tia de cabeça para baixo sem cabeça e eu tomando um banho com seu sangue, Sempre quis imitar a Condessa Elizabeth Bathory.Aliás que banheiro lindo este. Mármore e também com hidromassagem. Dava para fazer uma boa festa com alguns Vampiros aqui. Se bem que eu ainda não achei alguém como eu.
─ Seu desgraçado! Monstro! Maldito!! Toda a minha família morta.
─ Já disse que meu nome é…
─ Por que ainda estou viva? Por que não me mata logo!
─ Você tem bons contatos no seu celular. Tem muita gente para conhecer.
─ Responda!
─ Shh! Silêncio. Neculai vai comemorar o ano novo e você merece um presente. Tenho que juntar sua família para a festa.
─ Presente? Seu maniaco! Quero que morra!
─ Vai adorar meu presente. Vamos fazer uma Selfie com todos juntos e enviarei a foto para você.
─ Nãooo!
─ Sabia que iria adorar. Feliz Ano Novo!
………………..
 Todos os contos são de autoria de Adriano Siqueira, e mais contos dele podem ser encontrados no link abaixo:
Anúncios