Um túmulo com um esqueleto que possui uma estaca cravada no peito foi descoberto no sul da Bulgária. Não é o primeiro caso, mas o arqueólogo que o descobriu diz que este está bem conservado.

vampire tumb 002

A descoberta foi feita pelo “Indiana Jones da Bulgária”, na expressão do Telegraph: um túmulo de vampiro, contendo um esqueleto com uma estaca cravada na região do peito — o método que o ritual pagão acreditava impedir os vampiros de sair do fundo da terra para perseguir e aterrorizar os vivos.

“Não tenho dúvidas de que, uma vez mais, estamos a observar um ato “anti-vampiro”, disse na quinta-feira Nikolai Ovcharov, um arqueologista que tem dedicado a sua vida profissional a desvendar os mistérios de civilizações antigas. A descoberta aconteceu enquanto escavavam as ruínas de Perperikon, uma cidade da Trácia antiga localizada no sul da Bulgária, perto da fronteira com a Grécia.

A cidade, habitada desde 5000 A.C., mas só descoberta há 20 anos, acredita-se ser o local do Templo de Dionísio – o deus grego do vinho e da fertilidade. E entre os achados no local, que inclui uma cidadela, uma fortaleza e um santuário, são uma série de “sepulturas de vampiros”.

O esqueleto medieval está em ótimo estado de conservação,mesmo datando do século XIII. A prática de colocar uma estaca no peito de um morto acontecia sobretudo, lembrou Ovcharov, quando alguém morria de forma não natural — como em caso de suicídios.

Até hoje foram descobertos quase 100 esqueletos assim na Bulgária, A descoberta tem uma forte semelhança com duas sepulturas anteriores descobertas em 2012 e 2013 na cidade litorânea búlgara de Sozopol, a 200 quilômetros a leste de Perperikon, que foram apelidados de “os vampiros gêmeos de Sozopol”.

vampire tumb 001

Fonte: The Telegraph

Anúncios